Saneamento básico: um dos problemas sociais que assolam Paulista

Saneamento básico é um problema social que afeta todo o país Foto: G1

A cidade de Paulista foi avaliada juntamente com outras 99 cidades brasileiras pelo Instituto Trata Brasil, que desde 2009 atua como uma base de dados considerando o nível de saneamento básico das maiores cidades do país. Das 100 cidades avaliadas, Paulista ocupou apenas a posição de número 78 em comparação com os demais municípios.

O ranking avaliou critérios como a qualidade do tratamento de esgoto das cidades, a realização da coleta de lixo, o abastecimento e esgotamento sanitário. O reflexo dos índices apresentados se traduz nas queixas de moradores com a quantidade de lixo espalhada pela cidade e a situação do município quando chove e formam poças de água de extrema profundidade.

Além da poluição causada pelo esgoto a céu aberto nas cidades, a falta de investimento em saneamento básico contribui para proliferação de doenças como dengue, leptospirose e diarreia.

A realidade de Paulista não difere da situação geral do pais, onde apenas 42% dos esgotos são tratados e apenas pouco mais da metade da população tem acesso à coleta de esgotos. A atenção deve ser constante. A população não pode ficar apreensiva a cada vez que chove por conta do risco de doenças e contaminações por bactérias, por conta do excesso de lixo e dos restantes dos pontos das cidades sem o tratamento adequado de esgoto.

Confira aqui o ranking completo:

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.