Pernambuco espera imunizar 2,3 milhões de pessoas contra a gripe

Foto: G1

Via G1 Pernambuco 

A 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira (23). No Recife, 170 postos de saúde fixos estarão abertos das 8h às 17h para fazer os atendimentos, que vão até o dia 1º de junho. Em Pernambuco, a expectativa é imunizar 90% dos 2, 3 milhões de pessoas que integram os grupos prioritários. O Dia D contra a influenza está marcado para 12 de maio.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Recife, terão prioridade para a vacinação crianças de seis meses a cinco anos, gestantes e mulheres no príodo pós-parto. Também devem ser imunizados os maiores de 60 anos e profissionais das redes pública e privada de educação e de saúde.

Integram, ainda, o grupo prioritário pessoas de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, além de portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais. São os casos em que o paciente tem duas ou mais doenças simultâneas.

Algumas pessoas precisam apresentar documentos que provem a necessidade da vacinação. São elas: profissionais das redes pública e privada de educação e de saúde. Nesses casos, o poder público exige comprovantes laborais, como crachás ou carteira de trabalho.

Mulheres no príodo pós-parto necessitam de comprovação de que passaram por parto nos últimos 45 dias. Pessoas com comorbidade têm de apresentar encaminhamentos médicos justificando a aplicação da vacina.

Em Olinda, são 50 postos disponíveis para a aplicação da vacina contra a gripe. As unidades ficarão abertas das 8h às 17h. 

A gripe

A Influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar, ou pelas mãos, que podem levar o agente infeccioso para boca, olhos e nariz.

Estatísticas

De janeiro até o dia 14 de abril, o Recife registrou 6.459 atendimentos de Síndrome Gripal (SG) e 89 internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Segundo a administração pública, isso significa uma redução de 9,9% das ocorrências ambulatoriais e 53,9% das internações, em relação a 2017.

Considerando as síndromes, 10 casos tiveram amostras positivas para o vírus Influenza. Foram três para Influenza A H3 Sazonal e sete para Influenza A H1N1.

Em 2017, o Recife aplicou 368 mil doses da vacina, que garante proteção contra três tipos de vírus Influenza (H1N1, H3N2 e B).

Alerta

A vacina só é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores, bem como a qualquer outro componente da vacina ou alergia comprovada grave ao ovo de galinha e seus derivados.

A imunização é contraindicada, ainda, para crianças menores de seis meses de idade e pessoas com doenças agudas febris moderadas ou graves. Nesses casos, é recomendado o adiamento da aplicação da dose, até a resolução do quadro.

Pessoas com caso de ocorrência de síndrome de Guillain-Barré (SGB) no período de até seis semanas após uma dose anterior, recomenda-se também realizar avaliação médica criteriosa sobre benefício e risco da vacina antes da administração de uma nova dose.

Confira medidas para evitar a doença

  • Lavar as mãos com água e sabão frequentemente (principalmente antes de consumir algum alimento, tocar os olhos, nariz ou boca e após tossir, espirrar ou usar o banheiro).
  • Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com lenço descartável. Após o uso, descartá-los em lixeiras.
  • Na ausência de um lenço, usar o ombro ou antebraço interno como barreira ao tossir ou espirrar.
  • Não compartilhar alimentos, copos, garrafas, toalhas e objetos de uso pessoal.
  • Manter os ambientes ventilados, com portas e janelas abertas, para favorecer a circulação de ar.
  • Pessoas com gripe/resfriado devem evitar ambientes fechados e aglomerados, assim como contato direto com outras pessoas (abraço, beijo, apertos de mão, etc.).
  • Evitar sair de casa durante o período de transmissão da doença. Em adultos, este período dura, em média, até cinco dias após o início dos sintomas. Nas crianças pode durar, em média, 10 dias.
  • Não usar medicamentos sem orientação médica. A automedicação pode ser prejudicial à saúde.
  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.