Falta de combustível prejudica 90% das avícolas de PE e animais começam a morrer, diz associação

Foto: G1 Pernambuco

Via G1 Pernambuco

A falta de combustível afetou a produção de 90% das 120 empresas avícolas pernambucanas, desde o início da greve dos caminhoneiros, que entrou no nono dia nesta terça-feira (29). A informação é da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe). Segundo a entidade, o estado é o maior produtor de ovos e frangos do Nordeste. (Veja vídeo acima)

Sem combustível para abastecer os caminhões que transportam rações para as empresas, aves começaram a morrer. As avícolas também estão perdendo os pintinhos que deveriam ser transportados dos incubatórios, onde nascem, para as granjas em que são criados.

TV Globo esteve no incubatório de uma avícola na cidade de Paudalho, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. O incubatório recebe ovos fertilizados produzidos em granjas de aves reprodutoras.

Segundo Rinaldo Melo Filho, vice-presidente da Avipe, na unidade de Paudalho nascem, todos os dias, 100 mil pintinhos. Só que muitos deles não conseguiram sair, nesta terça, do incubatório para a granja de destino, porque não há caminhões abastecidos com óleo diesel.

“O incubatório é só o local onde as aves nascem. Todo o preparo para a alimentação é feito na granja. Aqui, são vacinados e transportados. O diesel estava muito racionado e hoje foi o colapso geral. Se não resolver essa história, não têm como as aves saírem daqui”, explicou.

A equipe da TV Globo também esteve no alojamento de frangos da avícola de Paudalho. Lá, registrou muitos deles morrendo de fome por causa do racionamento de ração. As aves geralmente ficam no local por 45 dias, alimentando-se várias vezes ao dia.

Cerca de 30% da ração é composta por soja, insumo que não tem chegado às avícolas, assim como o milho. Dessa maneira, os produtores estão improvisando para fazer a alimentação das aves.

“A gente coloca todo o conhecimento que tem de nutrição e formulação [de ração], com o que a gente ainda tem disponível, para conseguir chegar perto de um equilíbrio na dieta da ave. A tentativa agora é de salvar a vida dos animais, para que eles não morram de fome”, disse o vice-presidente.

De acordo com Melo Filho, 15 milhões de aves nascem, todos os meses, em Pernambuco. Parte delas sai do estado para abastecer os mercados da Paraíba, Rio Grande do Norte e Alagoas.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.