EXTINÇÃO DO POLÍTICO SÉRIO

Num reino de populismo, quem assume posições firmes e perde votos com isso precisa ser ouvido com mais atenção. O ex-ministro da educação e ex-senador Cristovam Buarque é um desses raros exemplos. O professor não conseguiu se reeleger. Perde votos por defender reformas para o País e por insistir que o modelo de educação brasileiro estava indo pelo caminho errado durante os governos de esquerda. Ele, que já foi até do PT e terminou demitido do ministério da educação, por Lula (PT), com a alegação de que “tinha acadêmico demais no governo” perdeu votos ao observa o óbvio: a esquerda errou o caminho.

O triste fim de quem, na esquerda ou na direita, tem consciência de país para além do partido e dos interesses pessoais, é o abandono eleitoral. Numa esclarecedora entrevista à Radio Jornal, ontem, Buarque demonstrou preocupação com a extinção desse espécime. ” Não quero discutir se existe esquerda ou direita. O que existe é o politico sério e o que não é sério faz o que precisa ser feito, mesmo perdendo votos. O que é sério faz o que precisar ser feito, mesmo perdendo votos. O que não é sério, vive com um celular na mão, gravando vídeo e falando só pros seus eleitores”, disse. E disse tudo.     

FONTE: JC, 08 DE MAIO DE 2019

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.