Rivalidade, tabu, história: Sport e Náutico decidirão o Pernambucano pela 18ª vez

Leão leva vantagem nas finais contra o Timbu, com 11 conquistas, sendo nove delas consecutivas. Alvirrubro vai buscar 1ª taça sobre o rival pós-hexa

Rivais centenários, Sport e Náutico irão decidir pela 18ª vez o Campeonato Pernambucano. Neste domingo, o Leão se juntou ao Timbu na decisão após superar o Salgueiro por 3 a 1, no jogo que marcou também o maior público do ano na Ilha do Retiro, com 22.117 torcedores. Os rubro-negros voltam à final após ficarem de fora na edição do ano passado, conquistada justamente pelo Náutico que buscará assim o bicampeonato. Algo que os timbus não festejam desde 2002..

Por sinal, há um outro tabu em jogo nessa decisão. Esse bem mais duradouro. Isso porque o Náutico não sabe o que é conquistar um título em cima do maior rival desde o lendário hexacampeonato, em 1968. Ou seja, já são mais de 50 anos de supremacia rubro-negra em decisões entre os dois clubes.
 
Com isso, o Sport leva vantagem no número de títulos conquistados em cima do rival. Só pós-hexa, já foram nove decisões, com voltas olímpicas apenas em vermelho e preto. O Leão levantou a taça em 1975, 1977, 1981, 1988, 1991, 1992, 1994, 2010 e 2014. Com os títulos obtidos também em 1955 e 1961 são 11 títulos no Clássico dos Clássicos.
 
Já o Náutico, além do hexa em 1968, superou o rival nas decisões de 1951, 1954, 1963, 1965 e 1966.
 
De volta ao presente, os dois times chegam à decisão motivados. Os alvirrubros defendendo uma invencibilidade de 18 jogos com 12 vitórias e seis empates. Igualando assim um feito alcançado pela última vez em 1975 e 1967. Além disso, vem de uma classificação histórica para a semifinal da Copa do Nordeste ao bater o Ceará por 2 a 0, em Fortaleza.
 
Por sinal, a última derrota do Náutico foi justamente para o Sport, na primeira fase do Estadual, por 3 a 1, na Ilha do Retiro, no dia 27 de janeiro. 
 
Já o Leão, sob o comando do técnico Guto Ferreira, segue com 100% de aproveitamento, em cinco jogos. E conta com o artilheiro do Campeonato Pernambucano, o atacante Hernane Brocador, autor dos dois primeiros gols da vitória sobre o Salgueiro e que soma nove no certame.
 
Por ter feito melhor campanha na primeira fase, o Sport tem o direito de fazer o jogo de volta, no dia 21, na Ilha do Retiro. Já a primeira partida, marcada para o próximo domingo, será nos Aflitos. O estádio volta a receber um partida de final de campeonato desde 2010. Isso porque na decisão de 2014, o Náutico mandava seus jogos na Arena de Pernambucano.
 
No geral, somando outros adversários, esta será a 45ª final do Sport. No caso do Náutico, o clube chega a sua 37ª decisão.  

Títulos do Sport sobre o Náutico

1955, 1961, 1975, 1977, 1981, 1988, 1991, 1992, 1994, 2010 e 2014
(Obs: Sport buscará a sua 42ª taça no geral) 

Títulos do Náutico sobre o Sport

1951, 1954, 1963, 1965, 1966 e 1968
(Obs: Náutico buscará a sua 23ª taça no geral)
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.