Destruição: População de Paulista sofre com descaso na educação e infraestrutura

Foto: Folha Dirigida

Via Folha Cristã

LIMPEZA URBANA

Foto: Diário de Pernambuco

A questão do lixão da Mirueira prejudica o bairro desde 1994. Em 2012, o Ministério Público afirmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TOC) e desde então, a população aguarda uma solução para a poluição do bairro. A prefeitura foi autuada pelo MP. Uma audiência foi realizada em março, com o objetivo de reparar os danos causados ao meio ambiente. 60 mil pessoas são prejudicadas pelo lixão.

SAÚDE

A saúde também continua sendo uma marca extremamente negativa da atual gestão. Faltam  medicamentos, postos de saúde com reformas inacabadas, o que gera prejuízo e muito transtorno para a população. Um exemplo é o posto de saúde do Alto do Bigode, na Vila Torres Galvão, que mesmo sendo aprovado não saiu do papel.

EDUCAÇÃO

A situação fica ainda pior quando analisamos o contexto da Escola Park em Maranguape II, há quatro anos a unidade de ensino não é concluída. A prefeitura de Paulista recebeu cerca de 900 mil reais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que poderiam ser revertidos na obra para finalizar os problemas de infraestrutura.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.