Náutico perde para o Bahia e se complica na Copa do Nordeste

Foto: Divulgação

Via Folha de Pernambuco

Os bons ventos que sopram a favor do Náutico no Campeonato Pernambucano e na Copa do Brasil estão de férias na Copa do Nordeste. O Náutico encerrou os jogos de ida da competição sem vitória ao ser derrotado por 2×1 para o Bahia, na Arena Fonte Nova, pelo Grupo C. Com o resultado, o Timbu permanece em terceiro, com um ponto, à frente apenas do Altos/PI por conta do saldo de gols. Pelas contas do técnico Roberto Fernandes, a equipe precisa vencer todas as três partidas restantes para se classificar à próxima fase. 

Antes mesmo de a bola rolar, Roberto precisou lidar com sua primeira dor de cabeça. O meia Wallace Pernambucano foi vetado de última hora por conta de uma virose e o paraguaio Ortigoza foi escalado entre os titulares. Outra mudança foi a saída de Júnior Timbó para a entrada de Gabriel Araújo

A necessidade de vencer para não se distanciar da zona de classificação ao mata-mata foi o motor do Náutico para fugir um pouco da sua postura tradicional e se arriscar mais, principalmente com Medina e Robinho pelo lado direito e Gabriel pela esquerda. O alvo era Ortigoza, centralizado no ataque. Nos momentos em que houve aproximação do trio com o centroavante, surgiram as principais jogadas. Em todas elas, uma semelhança: os lances não tinham conclusão. Um chute que não encontrava um pé no meio do caminho, uma cabeçada que não tinha outro companheiro para finalizar…faltava alguém para empurrar a bola para a rede. 

O Tricolor de Aço equilibrou a partida após os primeiros 20 minutos e foi colecionando chances desperdiçadas. Bruno salvou o Timbu em dois chutes perigosos de Nino e Edigar Junio. Mas quando Vinícius completou um cruzamento de primeira, o goleiro alvirrubro foi batido. A lei do ex fez mais uma vítima na Arena Fonte Nova: 1×0 Bahia.

Sentindo falta de maior poder de criação no meio-campo, Roberto sacou Gabriel e acionou Clebinho na partida. A intenção era diminuir as ligações diretas da defesa ao ataque. Mas o “vício” permaneceu. Camutanga e Breno insistiam nos lançamentos procurando Ortigoza e Robinho. Muita bola pelo alto e pouca por baixo.

Sem seu artilheiro da temporada, Wallace, o Timbu sentiu o que acontece quando um time não tem alguém com o faro de gol apurado. O Bahia não padeceu desse mal. Edigar Junio aproveitou cruzamento para subir livre de marcação e fazer 2×0. Nos minutos finais, deu tempo apenas de Tharcysio, que entrou bem no jogo, fazer o gol de honra dos pernambucanos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.