Integração temporal será implantada entre o terminal integrado e a Estação Recife do metrô

Agora é para valer. Um ano e três meses depois da primeira tentativa, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) conseguiu convencer o governo de Pernambuco a implantar na próxima semana o sistema de integração temporal na Estação Recife do metrô, localizada no bairro de São José, no Centro da capital. Na verdade, o objetivo da CBTU é fechar a estação, considerada a mais importante de todo o sistema metroviário, para combater as invasões. Atualmente, a CBTU estima que quatro mil pessoas invadem diariamente o Terminal Integrado Recife para acessar o metrô sem pagar a passagem.

Sou a favor da exigência do uso do VEM na integração sim. Porque, do jeito que está, quem paga pelas invasões é o passageiro que é honesto”, defende a universitária Willyana Cristina

Com a integração temporal, os passageiros que saírem dos ônibus só poderão acessar o metrô com os cartões VEM, seja o Trabalhador, Estudantil ou Comum. O início da integração temporal no TI Recife ainda não tem data fechada, mas a CBTU trabalha com o sábado, dia 6 de abril, para o início da operação. A estação do metrô já está praticamente pronta para a mudança. O bloqueio que separa o terminal da estação – atualmente com livre acesso – já está recebendo os validadores. Assim, as catracas só serão liberadas com a leitura dos cartões VEM no sentido TI Recife-metrô. Dessa vez, a mudança começaria antes do Carnaval e foi sendo adiada desde então.

Para quem não sabe, a integração temporal permite a troca entre os modais de transporte – no caso ônibus e metrô – sem a necessidade de estruturas físicas, de forma gratuita e por um determinado período. A validação da operação é feita tecnologicamente nos validadores instalados nos coletivos ou nos bloqueios de terminais integrados e estações do metrô. Com a tecnologia, o passageiro terá duas horas para acessar o metrô sem pagar uma segunda tarifa. O pagamento será feito apenas nas cinco linhas circulares que atendem ao TI Recife: Circular (Conde da Boa Vista), Circular (Imip), Circular (Cabugá/Prefeitura), Circular (Príncipe) e Circular (Prefeitura/Cabugá).

Na prática, as mudanças não afetarão quem sai do metrô para acessar as linhas que fazem integração no TI Recife. Atingirá apenas os passageiros que fazem o deslocamento oposto – do ônibus para o metrô. No lugar de simplesmente passar pelos bloqueios ao sair do TI, como acontece hoje em dia, os passageiros terão que aproximar o cartão VEM dos validadores que serão instalados para ter a passagem liberada.

“Desde o fim de 2017 que temos conversado com o Grande Recife Consórcio de Transporte (GRCT) para adotar a integração temporal e, assim, conseguirmos fechar a Estação Recife. Tem sido muito difícil para nós porque as invasões continuam frequentes. A fiscalização no terminal de ônibus não é suficiente, fazendo com que muita gente entre de graça no metrô. Antigamente o problema era pontual, mas tem crescido muito e chegou a um ponto que algo precisa ser feito”, argumentou o superintendente do metrô do Recife, Leonardo Villar Beltrão.

“Vão tirar os cobradores das linhas e os motoristas terão que receber a passagem. Sou contra porque fui contratado para ser motorista. Não quero mexer com dinheiro”, reclama Josival Almeida, motorista de ônibus

Um levantamento feito pela CBTU no ano passado constatou a grandeza do problema. Na época, a evasão era de 13,03%, segundo levantamento realizado pela CBTU, durante 15 dias, na ligação do TI Recife com a Estação Recife do sistema metroviário. Foram 45.009 invasores flagrados em duas semanas. Isso significa dizer que, por dia, 3 mil passageiros estavam entrando na Estação Recife do metrô sem pagar. Agora, a CBTU diz que esse número chega a 4 mil.

O processo será idêntico ao adotado entre a Estação Cavaleiro do metrô e o terminal integrado de ônibus, em julho de 2017. Apesar da confusão do início da mudança, com o tempo os passageiros se acostumaram e os números confirmaram que algo estava errado de fato. Entre janeiro e junho, quando a integração temporal ainda não vigorava, a demanda de passageiros era inferior a 50 mil/mês. A partir de julho, começou a subir rapidamente, chegando a 250 mil no mês de agosto e se mantendo na casa dos 200 mil em outubro daquele ano. O mesmo aconteceu com a receita do metrô, que na época passou de R$ 50 mil para R$ 400 mil somente na Estação Cavaleiro.

ÔNIBUS SEM COBRADORES

Pegando carona no fechamento da estação, o governo do Estado e os empresários de ônibus planejam retirar os cobradores das cinco linhas que rodam no TI Recife. Veículos com duas catracas e sem o assento de cobrador foram adquiridos pela Empresa Metropolitana, que vem realizando reuniões com os motoristas e cobradores – muitos dos quais já treinados para atuar como condutores – para acertar as alterações na operação.

“De fato, as empresas estão dando oportunidade para os cobradores que quiserem se preparar para virar motoristas. Mas eu não quero. Meu trabalho é como cobrador”, afirma o cobrador Adalberto Alves

 FONTE: JC 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.