Empresários presos por fraudar licitações ofereciam dinheiro para concorrentes saírem da disputa, diz polícia

Licitações foram abertas para a compra de alimentos para duas casas de acolhimento de Paulista, no Grande Recife. Secretário e outros quatro servidores foram afastados.

Os empresários, presos por suspeita de fraudar licitações da Prefeitura de Paulista, no Grande Recife, referentes à compra de alimentos que seriam entregues para duas casas de acolhimento do município, ofereciam dinheiro para empresas concorrentes. Com isso, eles pretendiam evitar disputa na hora da decisão final da Secretaria de Políticas Sociais e Esportes, diz a Polícia Civil. 

Norberto Pessoa Brito e Aluizio Mendes de Araújo, donos da Kaluah e Araújo Dantas, respectivamente, foram presos na terça-feira (28). A polícia investiga problemas em contratos assinados em 2017, que somam R$ 600 mil. Os detalhes da apuração foram divulgados nesta quarta (29).

De acordo com o delegado Diego Pinheiro, a Araújo Dantas, que tinha 44 contratos com a prefeitura de Paulista, não possui capacidade técnica e operacional para realizar o tipo de serviço que oferecia. Os alimentos, além de não serem entregues na quantidade e qualidade certa, eram distribuídos fora da validade para os abrigos.

“O local era uma sala pequena e isolada. Na investigação consta que Aluísio recebeu mais de R$ 6 milhões”, afirma. O irmão de Aluizio, Adilson Mendes de Araújo, seria um “laranja” envolvido na organização e também é investigado.

A servidora pública Zenaide Carla Barbosa, namorada de Aluísio, foi afastada do cargo público que tinha na secretaria em que os problemas foram detectados. Para a polícia, a relação dos dois influenciava diretamente os crimes, já que a mulher favorecia a Araújo Dantas nas licitações.

A investigação da Operação Convescote começou no início deste ano, segundo a polícia. Na apuração, consta que o secretário José Augusto da Costa sabia das fraudes.

Ele foi afastado da administração municipal. De acordo com o prefeito Júnior Matuto (PSB), o chefe de gabinete assume a secretaria.

Documentos foram apreendidos durante operação contra fraudes em Paulista, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

O pregoeiro Marcos Veríssimo de França, investigado por participação nas fraudes da mesma secretaria, foi encontrado com dinheiro e documentos adulterados na própria residência, segundo Pinheiro.

“Na casa de Marcos, foram apreendidos vários malotes espalhados no banheiro, guarda roupas, mochilas e outros cômodos. O montante acumulava R$ 140 mil em espécie. Também foi apreendido um carro no valor de R$ 90 mil”, detalha o delegado.

No depoimento, Marcos deu duas versões e chegou a dizer que o valor foi recebido por herança de um parente falecido em 2014. Ele foi atuado em flagrante por posse de arma de fogo e lavagem de dinheiro, segundo a Polícia Civil, e passa por audiência de custódia na tarde desta quarta-feira (29).

Outras duas servidoras públicas da mesma secretaria são investigadas. Marina Dantas de Lima e Joseli Nunes da Silva seriam responsáveis por falsificar os atestados de que os alimentos teriam sido recebidos e repassados às casas de acolhimento, segundo a polícia.

Operação prende empresários e afasta secretário e servidores da prefeitura de Paulista

Ao todo, a Vara Criminal da Comarca de Paulista expediu 15 mandados de busca, cumpridos em Paulista, no Recife e em Abreu e Lima, na Região Metropolitana. Uma arma, cinco veículos, 17 celulares e 13 computadores também foram apreendidos. 

FONTE: G1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.