Corpo é encontrado dentro de antiga farmácia no Espinheiro

Homem foi encontrado em loja na Rua 48, na Zona Norte do Recife, já sem vida. Causa da morte é investigada. Loja fechou no começo do ano, segundo moradores da região.

O Instituto de Criminalística foi acionado nesta terça-feira (21) para recolher o corpo de um homem, encontrado dentro de uma antiga farmácia na Rua 48, no bairro do Espinheiro, na Zona Norte do Recife. De acordo com moradores da região, o estabelecimento fechou desde janeiro.

Por meio de nota, a Polícia Civil afirma que o “corpo com indício de ter sido eletrocutado é de Carlos Michell dos Santos Miranda, de 28 anos”. A corporação instaurou inquérito policial para investigar o caso, que está a cargo da Delegacia do Espinheiro.

Peritos chegaram pouco depois das 12h e, guiados por um homem que se identificou como vigia do local, encontraram um buraco na parte de trás da farmácia. Os vizinhos acreditam que esse é o local por onde o homem teria subido para ter acesso à área interna da farmácia, já que o local não apresenta sinais de arrombamento.

Trabalhadores da região suspeitam de que o homem encontrado seja um morador de rua que entrava no local para roubar fios. “Ele e outro rapaz entravam direto”, afirma o comerciante Edimilson Soares, que trabalha em um estabelecimento em frente ao terreno.

Os profissionais do Instituto de Medicina Legal (IML) chegaram por volta das 12h30 para recolher o corpo, que deve passar por perícia na sede do órgão, em Santo Amaro, no Centro do Recife.

Insegurança

Em frente à farmácia abandonada em que o homem foi encontrado, há uma praça que, segundo quem trabalha na região, é usada para consumo de drogas. “Eu trabalho aqui há sete anos e eu sempre vi o pessoal usando drogas”, afirma o funcionário de uma corretora, que preferiu não se identificar.

Outras funcionárias da mesma empresa também relataram sentir medo de circular no bairro. “Quando eu saio ou entro no carro, tento ser rápida porque tenho medo de assalto”, diz outra colaboradora da corretora, que também não quis se identificar.

FONTE: G1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.