App feito em Pernambuco calcula e alerta risco de contaminação pelo novo coronavírus

Ferramenta foi elaborada a partir de um desafio tecnológico que envolveu e tem funcionalidade em todo o Brasil

A partir desta quinta-feira (30), entra em operação o aplicativo Dycovid – Dynamic Contact Tracing, desenvolvido pela startup pernambucana Mamba Labs, que realiza um mapeamento do risco de contaminação pelo novo coronavírus por meio da identificação de proximidade entre os celulares das pessoas. Segundo os desenvolvedores, o mapeamento acontece de forma totalmente anônima e com garantia total de privacidade, levando em consideração a duração do encontro.

A ferramenta foi desenvolvida durante o Desafio Covid-19, uma iniciativa de inovação aberta do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), do Porto Digital e da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), que apoia o desenvolvimento de tecnologias para o combate à pandemia. São usados dados oficiais do Ministério da Saúde e das secretarias estaduais de Saúde do Brasil, realizando, portanto, um mapeamento nacional. 

O desafio ainda conta com outras sete iniciativas para ajudar no enfrentamento aos efeitos da pandemia em Pernambuco – com possibilidade de expandir a atuação para outros estados e até mesmo para fora do País.

O recurso já pode ser baixado em celulares Android e, em breve, estará também na loja da Apple. A equipe estima que isso deve acontecer em, no máximo, 10 dias, a depender da liberação da própria Apple. Pode ser acessado também em computadores (aqui). 

O Dycovid – Dynamic Contact Tracing é uma solução que realiza contact tracing de forma digital e anônima a partir de um aplicativo instalado no celular dos cidadãos. Ele permite identificar o fluxo de contaminação, mapeando de forma automatizada como o vírus está passando de pessoa para pessoa. 

Os principais benefícios, segundo os desenvolvedores, são: interromper a transmissão contínua e reduzir a propagação de uma infecção; alertar os contatos sobre a possibilidade de infecção e oferecer aconselhamento preventivo ou cuidados profiláticos; oferecer diagnóstico, aconselhamento e tratamento a indivíduos já infectados; e aprender sobre a epidemiologia de uma doença em uma população específica.

“A partir do momento que o usuário é sinalizado como portador do novo coronavírus, nós espalhamos para o grupo de pessoas que tiveram contato com ele um alerta sobre o seu risco de contaminação, com dicas de prevenção e, futuramente, necessidade de realização de testes.” disse Matheus Rodrigues, um dos desenvolvedores da ferramenta.

Além de acompanhar o seu nível de risco, o usuário tem acesso a um guia customizável com informações sobre o coronavírus, que é possível compartilhar com amigos e familiares. “O Guia, por exemplo, se adapta ao risco que o usuário está passando.” completou Rodrigues.

Aplicativo Dycovid ajuda a mapear casos de Covid-19 próximos ao cidadão

Aplicativo Dycovid ajuda a mapear casos de Covid-19 próximos ao cidadão – Crédito: Cortesia

“Com o apoio das secretarias de Saúde de cada estado e com os dados gerados pela geolocalização dos usuários do aplicativo, o Dycovid – Dynamic Contact Tracing é capaz de inferir esse risco de contaminação dos usuários. São utilizados modelos matemático-computacionais para estimar de forma qualitativa o risco de contatos e de locais como supermercados, farmácias, postos de saúde e hospitais. Através de um mapa de risco o usuário poderá ter um panorama geral do risco encontrado em diversas regiões do País.”, reforçou Rodrigues.

A startup Mamba Labs, responsável pela criação da aplicação Dycovid – Dynamic Contact Tracing, é voltada para o desenvolvimento de soluções envolvendo tecnologias nos ramos de inteligência artificial, processamento de dados, realidade aumentada e aplicações comerciais.

É composta por uma equipe de seis desenvolvedores pernambucanos. O projeto tem o apoio da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), com professores que atuaram e outros que deram consultoria durante o processo.

“A tecnologia é a nossa grande aliada no combate à propagação do novo coronavírus. Com essas soluções vamos atuar em diversos campos como a identificação de pessoas que podem ter entrado em contato com uma pessoa infectada, o acompanhamento das pessoas que estão nos grupos de risco, via mobile, o acompanhamento do isolamento social necessário para evitar o contágio, a realização de testes e mesmo o apoio técnico e suporte aos agentes de saúde”, destacou o procurador-geral de Justiça de Pernambuco (PGJ-PE), Francisco Dirceu Barros.

FONTE: FOLHA PE

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.